incoerente, adj. 2 gén. que não é coerente; desconexo; ilógico; disparatado; inconsequente; discrepante (De in-+coerente).

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

quarta-feira, abril 23, 2008

O sono compulsivo

Embora tenha estado mais de um mês sem actualizar estes relatos, não é por isso que deixaram de acontecer coisas. O certo é que não tenho tido tempo.
Muita gente sabe que este ano para mim está a ser levado na "red line"... só espero não dar o chamado "peido-mestre". Alguns já foram dados, mas pelo que tenho verificado não eram mestres...
O relato de hoje debruça-se sobre outra das manifestações da gravidez, o sono. À primeira vista não causa nenhum impacto. Dormir... até é bom e não é como vomitar. Dá gosto ver a Angie dormir como um anjinho e confesso que não me chateia nada. Só que às vezes dou por mim a falar sozinho. São grandes monólogos e alguns têm sido dos melhores monólogos da história. Mas como faço de travesseiro e não posso escrever, os monólogos perdem-se no ar.
A piada disto reside no facto de eu, em termos de sono, ser uma pessoa com um sono fácil. Posso até dizer que tenho uma gravidez de 33 anos, que traduzida em meses dá cerca de 396. E não falo em curva abdominal, porque essa ronda os 4/5 meses. Sou pouco exigente, para dormir, basta-me ter algumas condições básicas para que eu flutue pelo "val dos lençóis", sem realmente estar neles. Uma condição essencial, e da qual não abdico, é estar parado. Por muito que tenha tentado, não consigo dormir sem estar parado (embora o facto de estar de pé não seja impedimento). Claro que isto não inclui a situação de dormir a conduzir, porque aí sou menino para o fazer, embora seja perigoso e quando começo a fechar os olhos tenho a força de Sansão para chegar ao ponto de paragem mais próximo para encostar ou passar o volante a outra pessoa.
Escusado será dizer que até à data eu era "criticado", veemente pela minha esposa, pelo facto de adormecer com demasiada facilidade e em qualquer sítio. Tenho testemunhas que me viram dormir numa discoteca encostado a uma coluna. Só que agora ela reconhece que não é fácil lutar contra o sono. Só Deus sabe o que eu passo. Estar por vezes num almoço ou jantar de família e o sono apoderar-se de mim como se de uma anestesia se tratasse. É incontrolável... a cabeça começa a dizer "sim" mesmo que me peçam uma quantia avultada em dinheiro. À noite quando me deito é como morrer para o mundo, pode vir o maior dos temporais que no dia seguinte, para mim, foi sempre uma noite amena e sossegada. Chego a ficar chateado, quando se comenta: "Eh pá... esta noite esteve um temporal... vento e chuva... uma coisa nunca vista!!", porque eu nunca oiço puto...

Se algum dia tenho o azar de adormecer na rua, tenho a certeza que, na manhã seguinte, acordo sem um rim e a única coisa que sentirei será uma leve comichão nas costas...

4 comentários:

Sofia e Pedro disse...

Olá querida mamã, conheci o teu simpático cantinho através do Baby Boom e adorei, virei visitar-te mais vezes!
Parabéns pelo teu bebé, desejo-te as maiores felicidades!
Beijinhos,Sofia,Pedro e Joana

eagle disse...

Ora bem... o mais correcto seria "Querido papá" visto o autor ser o pai... no entanto já fiz chegar à mamã os vossos votos.
Obrigados, e já agora retribuímos os votos para vocês também.

Silvia's Decoração disse...

visite o nosso blog:

silviasdecoracao.blogspot.com

felicidades!!!:)

O Atelier da Imaginação disse...

Encontrei o teu blog e achei muito interessante.
Aproveito também para te convidar a visitares o meu blog, http://oatelierdaimaginacao.blogspot.com, talvez te interesses por algo para o rebento ou para ti.
Beijocas
O atelier

Blog optimizado para Firefox 3.0.3

blogaqui? Estou no Blog.com.pt

  • Incoerente
  • ©
    2009,

    eagle - Todos os direitos reservados